O uso do Pelicano para representar Nosso Senhor é o meu favorito, me encanta, de verdade.

É o seguinte: existia uma tradição pre-existente que, quando um pelicano não conseguia uma boa pesca para alimentar seus filhotes, ele feria o próprio peito afim de alimentá-los, para que não morressem de fome. Também há uma parte dessa lenda que quando um dos filhotes morriam, o pelicano abria o lado e o trazia de volta a vida, às custas da própria, pulverizando com seu próprio sangue.

O porquê da comparação com Nosso Senhor é bem simples e claro: porque Ele se deu em sacrifício pelas suas pequenas criaturas, deu o Seu próprio Sangue para que tivéssemos vida, nos tirando das garras da morte que vem do pecado; e Ele nos alimenta com Seu próprio Corpo por meio do Santíssimo Sacramento.

A canção “Adoro te Devote” revela muito bem isso:

“Senhor Jesus, bondoso pelicano, lava-me, eu que sou imundo, em teu Sangue pois que uma única gota faz salvar todo o mundo e apagar todo pecado.”

Ele verdadeiramente tomou sobre Si as nossas enfermidades, e sofreu, Ele mesmo assumiu as nossas dores. A punição imposta era o preço da nossa paz, e Suas feridas, o preço da nossa cura.

Luzia Leide